ALAGOAS

Necessidade de higienizar compras de alimentos

O combate ao novo coronavírus deflagrou um novo mantra universal: fique em casa. Mas nem todos têm esse privilégio. Além dos profissionais que atuam nos serviços essenciais, pessoas que não apresentam sintomas relacionados ao covid-19 podem deixar temporariamente o confinamento para providenciar abastecimento de ordem pessoal e familiar. Seja da porta pra fora ou de casa pra dentro, a recomendação é a mesma: cuidado redobrado com a higiene.

Com duas semanas de quarentena, uma nova rotina doméstica impôs o reaprendizado de velhos hábitos saudáveis – como o simples e eficaz ato de lavar as mãos – e chamou a atenção para procedimentos sanitários extraordinários, como o uso de máscaras de proteção nas ruas.

Mas o bicho pega mesmo quando você circula. Uma vez infectado, o indivíduo se torna agente transmissor. Leva o pão e o vírus pra casa. Pra complicar, a contaminação também pode estar em sacolas, embalagens, roupas, gêneros alimentícios e demais objetos trazidos da rua.

Então, como proceder para reduzir as chances de contágio ao voltar para casa? As ciências médicas assinam a receita. Um dos integrantes do Grupo Técnico de Enfrentamento ao Covid-19 em Alagoas, o infectologista Fernando Maia, descreve a sua própria rotina como exemplo. Esteja ele em atuação no hospital ou no aconchego do lar, a vigilância com a saúde demanda máxima atenção.

“Eu tenho esposa e um filho pequeno. Eu vou trabalhar e quando eu volto, deixo o meu sapato dentro do carro. Criamos uma ‘área contaminada’, que é na lavanderia. Ao chegar em casa, vou direto para lá, tirou a roupa e sigo direto para o banho”, descreve o médico. “Toda roupa utilizada é colocada a parte para ser lavada. E toda vez que entra em casa, banho”, reforça.

E com os itens adquiridos durante a saída? Deve-se higienizar embalagens e sacolas plásticas? E os alimentos que estavam expostos nas prateleiras podem ser contaminantes se manuseados por uma pessoa infectada? De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), pesquisas recentes constataram que alimentos não hospedam o vírus, mas há chance contaminação nas superfícies caso sejam manuseados por uma pessoa infectada.

A sobrevivência do novo coronavírus varia de um material para outro. Estudos indicam que no aço inoxidável e no plástico, o vírus pode viver por até três dias, já no papelão, apenas 24 horas. Portanto, durante as compras, respeite a distância mínima de 1 metro entre as outras pessoas e nunca leve as mãos aos olhos, nariz e boca.

A seguir, confira a lista preparada a partir das orientações de especialistas com dicas e cuidados na hora de voltar para casa com itens pessoais e produtos de gêneros diversos.

CALÇADOS, ROUPAS E ITENS PESSOAIS


– Deixe os calçados do lado de fora.

– Se possível, crie uma espécie de “área contaminada” dentro de casa para acomodar objetos como bolsa, mochila, relógio, anéis e outros itens pessoais.

– Lave as mãos e depois o rosto. Tire as roupas imediatamente e coloque no cesto para lavar. Tome banho em seguida.

– Caso não tenha uma “área contaminada”, faça a higienização de itens pessoais com álcool em gel a 70%. Outra opção é preparar uma solução com água e algumas gotas de detergente e passar na bolsa ou no item com um pano limpo e seco.

– Higienizar o aparelho celular, chaves e maçanetas das portas.

– No caso de bolsas e mochilas, providencie um lugar para pendurá-las para evitar o risco de contaminar superfícies como mesas, camas, cadeiras e sofás.

SACOLAS E EMBALAGENS

– Leve as embalagens de produtos e sacolas com itens diversos direto para a pia da cozinha. Potes, latas, caixas, vidros e garrafas com produtos e alimentos devem ser lavadas com água e detergente (ou sabão).

– As sacolas plásticas devem ir direto para o lixo. Embalagens não descartáveis devem ser higienizadas com água e detergente (ou sabão).

ALIMENTOS
– Frutas e verduras recebem o mesmo tratamento de sempre: primeiro lavar sob água corrente. Depois, imergir em solução de hipoclorito de sódio (água sanitária) por aproximadamente 15 minutos. Em seguida, enxaguar mais uma vez para retirar o excesso do produto.

– Higienize com produtos adequados de limpeza as superfícies e utensílios que entram em contato com os alimentos.

– Não converse, espirre, tussa, cante ou assovie em cima dos alimentos, superfícies ou utensílios. A recomendação vale para o momento da compra, do preparo e de servir.

– No caso do recebimento de lanches, refeições e pequenas compras por serviços de entrega (delivery), descartar embalagens e sacolas plásticas imediatamente na lixeira e, em seguida, lavar as mãos com água e sabão.

Fonte: Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) com especialistas da área de saúde.

Artigos relacionados
ALAGOAS

Visita técnica inicia trabalho colaborativo para requalificação da Serra da Barriga em União dos Palmares

Uma equipe representando diversos órgãos do Governo Federal, Governo de Alagoas, Prefeitura Municipal e Universidade Federal de Alagoas (Ufal) deu…
ALAGOAS

Crédito do Trabalhador: um ano de conquistas para os microempresários do turismo alagoano

Uma das principais atividades econômicas do estado, sinônimo de transformação social através da geração de emprego e renda, o turismo…
ALAGOAS

Capital alagoana é o segundo destino nacional mais buscado para as férias de julho

O Destino Alagoas segue na preferência dos viajantes brasileiros. Em pesquisa divulgada pela Decolar, agência de viagens líder da América…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :