DESTINOS

Israel libera acesso de turistas com prazo de apenas seis meses de vacinação completa


Um dos maiores destinos religiosos do mundo, Israel, reabre para os turistas totalmente vacinados, mas com um ressalva que é polêmica, já que exige que os turistas não só tenham tomados as duas doses das vacinas reconhecidas pela comunidade internacional, como também não esteja com mais de 180 dias (6 meses) de vacinados, o que supõe a possibilidade de que os imunizantes perdem sua eficácia. 

Medidas como estas são condenadas pela Organização Mundial de Turismo (OMT), que cobra a unificação dos protocolos de viagens e respeito às patentes dos fabricantes das vacinas. Israel, que vive sob o medo do terrorismo, sempre desenvolveu politicas de campanhas de marketing para atrair os turistas, visando sempre amenizar o clima de tensão que se vive nas ruas de Jerusalém e Telaviv, agora vive o medo do covid com medidas tidas como sem radicais que só vai afastar ainda mais os turistas. 

Condições

A segunda ou última vacinação ocorreu mais de 180 dias antes da partida planejada, uma terceira vacinação, também conhecida como “reforço”, deve ser comprovada. Isso deve ter ocorrido pelo menos 14 dias antes da entrada. Além disso, não será permitida a entrada de visitantes que estiveram em um “País Vermelho” durante os 14 dias anteriores à sua chegada.

Exigências

  1. Um teste de PCR deve ser realizado até 72 horas antes do voo para Israel.
  2. Um formulário de declaração de entrada para Israel deve ser preenchido
  3. Os titulares de um certificado digital verificável – irão escanear ou carregar seu certificado de vacinação ou recuperação no formulário de passageiro que chega e recebe um passe verde antes de embarcar no avião. Aqueles que não possuem um certificado digital verificável – irão declarar as vacinas que receberam no formulário de declaração de entrada para Israel, e também irão preencher uma declaração sobre as vacinas administradas no exterior.
  4. Ao embarcar no avião, os seguintes documentos devem ser apresentados: apresentação de um teste PCR negativo realizado até no máximo 72 horas antes da partida; prova de declaração de inscrição; e certificado de vacinação válido
  5. Teste PCR no pouso no Aeroporto Ben Gurion; Os participantes permanecem isolados até que um resultado negativo seja obtido, mas não mais do que 24 horas.
  6. Aqueles que foram vacinados com as vacinas do Sputnik são submetidos a um teste sorológico no Aeroporto Ben Gurion e se isolam até que o 

Novo regulamento

Para viagens em grupo, as condições anunciadas em 19 de setembro permanecem válidas. Novas diretrizes estão sendo elaboradas e serão anunciadas separadamente. O primeiro-ministro Naftali Bennett e representantes do Ministério da Saúde, Turismo e Transporte, bem como outros especialistas em saúde e governo, concordaram com o novo plano de entrada. O regulamento é continuamente adaptado à situação pelas autoridades.

Artigos relacionados
DESTINOS

Monstros ganharão vida no Epic Universe

O Universal Orlando Resort está dando vida a seus monstros icônicos com Dark Universe, um dos cinco mundos que formarão…
DESTINOS

Início do inverno traz possibilidades para curtir o frio pelo país

Teve início, ontem, dia 20, a estação mais fria do ano no Brasil: o inverno! E, apesar de ser um…
DESTINOS

Curitiba recebe primeiro voo direto de Santiago

O Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, recebeu na quarta-feira (19) o…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :