Cotidiano

Senado aprova que março será mês de conscientização sobre o câncer de cólon e reto

O Plenário do Senado aprovou, nesta quinta-feira (10), projeto que estabelece o mês de março como o Mês de Conscientização sobre o Câncer de Cólon e Reto (PL 5.024/2019). De autoria do deputado Gilberto Nascimento (PSC-SP) e relatado pela senadora Zenaide Maia (Pros-RN), a proposta estabelece que durante o mês de março sejam realizadas campanhas educativas e informativas de forma a educar a população e prevenir o surgimento da doença. Como foi modificado no Senado, a matéria volta para nova análise da Câmara dos Deputados.

O texto já havia sido aprovado em agosto do ano passado na Comissão de Assuntos Sociais (CAS). Zenaide também foi a relatora na comissão. Ela retirou da proposta um artigo que previa que caberia ao gestor federal do Sistema Único de Saúde (SUS) promover eventos e atividades para divulgação, de forma integrada com estados e municípios, do câncer de cólon e reto e das formas de prevenção dessa enfermidade.

Para a senadora, a matéria é louvável. Ela disse que é preciso considerar a relevância da medida diante da importância epidemiológica dessas doenças no país e do fato de que a medida mais efetiva de combate depende da conscientização da sociedade. Segundo Zenaide, o projeto é importante para dar visibilidade às medidas de prevenção e ao diagnóstico precoce.

— O câncer colorretal tem grande incidência de cura, quando diagnosticado precocemente. O projeto pode empoderar a população e chamar a atenção para a realidade da doença — afirmou relatora, que é médica.

O senador Nelsinho Trad (PSD-MS), que também é médico, elogiou a iniciativa do autor e o trabalho da relatora. Ele ressaltou a importância de uma alimentação saudável e da prática de atividades físicas como forma de diminuir o risco da doença. Nelsinho também incentivou os exames regulares, como forma de buscar um diagnóstico precoce.

Izalci Lucas (PSDB-DF) também elogiou o projeto e as campanhas em favor da saúde. O senador lamentou, no entanto, o que chamou de “propaganda enganosa”, pois muitas vezes o paciente não encontra o acolhimento necessário nos hospitais públicos. Na mesma linha, Jayme Campos (DEM-MT) disse que o projeto é “meritório”, mas cobrou mais qualidade no atendido da saúde pública.

— Os investimentos precisam ser feitos com prioridade. Só campanha não resolve. Precisamos ter atendimento de qualidade — cobrou Jayme Campos.

Números

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estimou que, em 2020, houve 17.760 novos casos de câncer colorretal em homens (7,9% do total de novos casos de câncer) e de 16.590 novos casos em mulheres (7,4% do total).

Para os homens, o câncer colorretal é o terceiro tipo mais comum de câncer. O primeiro é o de próstata, respondendo por 29,2% do total, e o segundo é o câncer de traqueia, brônquio e pulmão, totalizando 9,1 % de todos os casos de câncer em homens. No caso das mulheres, é o segundo tipo mais comum, só perdendo para o câncer de mama, que é responsável por 29,7% do total de novos casos de câncer feminino. Em relação à mortalidade, o câncer colorretal é a terceira causa de morte por câncer para homens e mulheres, sendo responsável por 8% e 9,3%, respectivamente, dos óbitos por neoplasias de forma geral.

Sintomas e prevenção

De acordo com o Inca, as estratégias para a detecção precoce do câncer são o diagnóstico precoce (abordagem de pessoas com sinais e/ou sintomas iniciais da doença) e o rastreamento (aplicação de exame numa população assintomática, aparentemente saudável, com o objetivo de identificar lesões sugestivas de câncer, e encaminhamento dos pacientes com resultados alterados para investigação diagnóstica e tratamento).

Alguns sintomas que podem indicar a doença são perda de peso sem razão aparente, anemia, alteração do hábito intestinal (constipação e diarreia) e sangue nas fezes. Entre os fatores de risco para o aparecimento da doença estão: herança genética, obesidade, sedentarismo, tabagismo e consumo exagerado de alimentos processados, carne vermelha e bebidas alcoólicas.

Entre as medidas de prevenção estão o combate ao fumo e ao álcool; atividade física com regularidade; alimentação rica em fibras e livre de alimentos ultraprocessados e açúcares; e redução no consumo de carnes vermelhas. Também é recomendado estar em dia com as consultas médicas.

Março Azul

A campanha Março Azul, que já é feita na Europa e nos Estados Unidos, chegou nos últimos anos ao Brasil por iniciativa da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (Sobed). A campanha conta com o apoio da Associação Médica Brasileira (AMB), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e de outras entidades. O objetivo é mobilizar e conscientizar a população e os profissionais de saúde a respeito dos riscos do câncer colorretal. Com a votação completa no Congresso Nacional e com a sanção da Presidência da República, essa campanha estará prevista em lei.

Fonte: Agência Senado

Artigos relacionados
Cotidiano

Primeira edição do Concurso de Quadrilhas Juninas marca noite histórica em Barra de Santo Antônio

A prefeita Lívia Carla destacou a importância cultural e emocional do evento, formalizando o reconhecimento do primeiro concurso de quadrilhas…
Cotidiano

IGPS realiza “MUTIRÃO DE EXAMES LABORATORIAIS” em Branquinha – AL

Na quinta-feira, dia 20, 0 IGPS realizou um “MUTIRÃO DE EXAMES LABORATORIAIS”, em alusão ao “CUIDADO COM OS PÉS DOS…
Cotidiano

Ziane Costa reúne milhares de mulheres em evento do MDB em Delmiro Gouveia

Na noite da última quinta-feira (20/06), a prefeita de Delmiro Gouveia, Ziane Costa (MDB), mais um vez fez história na…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :