EVENTOS

Mulher no Repente: festival nacional de poetas e repentistas em Arapiraca trará representantes da força feminina

O II Festival Nacional de Poetas e Repentistas em Arapiraca, que acontece nesta quinta-feira (16), terá uma dupla feminina em sua programação, um diferencial para o gênero que é tão representatividade para a cultura nordestina raiz. O evento é realizado pela Prefeitura de Arapiraca, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Lazer e Juventude, e reunirá poetas e repentistas de todo o nordeste na Praça Higino Vital, na Canafístula, a partir das 20h30.

A dupla que se apresentará é composta por Santinha Maurício e Maria da Soledade. Além delas, também se apresentarão no evento: Ivanildo Vila Nova e Gilberto Alves, Felipe Pereira e Hipólito Moura, Raimundo Caetano e Helânio Moreira, Rogério Meneses e João Lídio, Zé Viola e André Santos, Sebastião Dias e Luciano Leonel, Max Rocha e Pedro Lavandeira e Cícero Souza e Luiz do Nascimento.

A secretária municipal de Cultura, Lazer e Juventude, Marília Albuquerque, diz que o evento é fruto de um olhar especial dado pelo prefeito Luciano Barbosa, um grande apoiador desse movimento artístico que é tão simbólico para a cultura nordestina. “Nossa cidade se destaca em trazer esses artistas que mantém viva essa manifestação”, declarou.

Lugar de Santinha é no Repente

Santinha Maurício é o nome artístico de Josefa Maria da Silva, pernambucana natural de Cumaru, pequeno município do interior do estado. Santinha Maurício tem no repente uma mistura de dom, inspiração e trabalho que a acompanha desde criança, e que chegou até ela por meio das ondas do rádio, quando ouvia os cantadores através das estações da época, nos tempos de Lourival Batista e Otacílio Batista. “Descobri que amava a poesia assistindo aos cantadores. Fui aprendendo o que era a poesia e a gostar de repente e da cantoria”, conta.

Começou a cantar na cidade de Abreu e Lima poucos após os 18 anos, e teve na irmã e outras artistas da época – em que havia mais representação feminina que hoje, segundo ela -, uma grande inspiração. Aos 74 anos, Santinha viu durante suas décadas de vivência no repente, diversas mulheres entrarem e saírem da profissão, e diz que até hoje ainda é difícil estar em um meio majoritariamente ocupado por homens.

“Foi difícil esse início, e até hoje ainda é. Existem mais de mil homens cantadores, e mulheres não têm nem 50. Uns aceitam, outros não querem aceitar, e aí fica difícil, mas a mulher que tem coragem de seguir esse desafio, enfrentar. A gente enfrentou e ainda enfrenta. Outras deixaram de cantar porque o marido não deixava, e elas preferiram atender o marido do que a profissão. Quem quer, continua. Eu nunca tive barreiras com meu marido sobre isso, convivi com o marido e com a profissão […] Temos que mostrar aos homens que em nossa arte, tivemos a coragem de enfrentar eles”, afirma ela.

Ainda segundo ela, muitas mulheres tem o dom, mas não querem ser repentistas por medo. “É uma profissão muito espinhosa. Temos poucas repentistas, pouca evolução”, ressalta, e por isso diz admirar todas as mulheres da profissão e cita nomes como Mocinha de Passira, Lucinha Saraiva, Fabiana Ribeiro, Maria da Soledade, como grandes artistas do repente nordestino.

Artigos relacionados
EVENTOS

BTL: Na principal feira de turismo de Portugal, Brasil irá trabalhar cinco segmentos prioritários

A Embratur participará, entre os dias 28 de fevereiro e 3 de março, do evento mais importante na área do…
EVENTOS

Goiás lança Temporada de Pesca Esportiva 

O turismo de pesca esportiva recebeu investimento de R$ 1,2 milhão do Governo do Estado para os eventos Circuito Goiano…
EVENTOS

Roadshow Visit Brasil será realizado em cinco países da América do Sul

 A Embratur irá promover o primeiro Roadshow Visit Brasil de 2024 em cinco cidades da América do Sul, entre os…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :