MEIO AMBIENTE

Indicadores de turismo de sustentabilidade da Embratur seguirão padrões internacionais

Os dados de inteligência turística da Embratur passarão a seguir os padrões internacionais junto à Organização Mundial do Turismo (OMT), agência especializada da ONU. De acordo com as diretrizes internacionais, o turismo precisa ser um forte gerador de emprego, tem que ser benéfico para quem mora na cidade e não só para quem visita, deve preservar o meio ambiente o máximo possível e ser um fator de geração econômica.

A Embratur, que já está alinhada à visão da OMT, vai adequar indicadores locais como consumo de água, de energia, geração de resíduos, avaliação da atividade turística local e geração de empregos às métricas da organização. Os dados orientam na elaboração de políticas públicas e tomadas de decisão para fomentar o turismo internacional no Brasil, e funcionarão como um IDH da sustentabilidade no turismo.

A mudança de metodologia acontece depois que a Gerência de Informação e Inteligência de Dados da Agência apresentou, na semana passada, na Espanha, o painel de dados da Agência à OMT e à Rede Internacional de Observatórios de Turismo Sustentável (INSTO). O painel foi elogiado como uma boa prática de inteligência turística para o Brasil. O próximo passo do processo é uma série de reuniões entre a Embratur e as diretorias de Estatística e de Sustentabilidade da OMT para estreitar relações.

De acordo com o coordenador de Informações e Inteligência de Dados da Embratur, Fábio Montanheiro, é uma forma de fortalecer a aderência da empresa às diretrizes internacionais, que já se afinam com o trabalho da atual gestão, de preservação do meio ambiente, inclusão e fortalecimento cultural. “O Ministério do Turismo é membro da OMT. A Embratur trilha uma parceria com a área de dados e estatísticas da organização e com o departamento de sustentabilidade”, explicou Montanheiro.

“O próximo passo é implantar as metodologias desenvolvidas pela OMT para monitorar a sustentabilidade do turismo nos destinos internacionais. É preciso saber se gera empregos, se beneficia a população local, se não agride o meio ambiente e se é fator de desenvolvimento econômico, nessa ordem. São diretrizes completamente aderentes ao trabalho da Embratur”, destacou o coordenador.

Artigos relacionados
MEIO AMBIENTE

Alagoas Ambiental participa do encontro Território Sustentável

Com o propósito de promover um futuro mais verde e limpo, por meio de práticas inovadoras de tratamento de resíduos,…
MEIO AMBIENTE

ABEAR reforça importância da produção de SAF para descarbonização do setor aéreo

A presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), Jurema Monteiro, reforçou, no evento Piauí Infra Day, a importância da…
MEIO AMBIENTE

Prefeito de Craíbas recebe MVV para alinhar novo estudo socioeconômico na região

No último dia 3, a Mineração Vale Verde (MVV) realizou uma visita institucional à Prefeitura de Craíbas, conversando com o…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :