CIA AÉREAS

American Airlines recompensará agências de viagens que fazem reservas NDC

A American Airlines pode ter rejeitado seus planos de limitar como os membros do programa de fidelidade AAdvantage podem ganhar milhas ou pontos com base em canais de reserva, mas a companhia aérea ainda pretende avançar com planos para recompensar agências que designa como “preferenciais”, de acordo com cópias de e-mails do transportadora enviada para clientes corporativos e agências de viagens.

Os memorandos, assinados pelo vice-presidente sênior americano de parcerias e varejo, Scott Laurence, não fornecem detalhes específicos sobre o programa, mas observaram que as agências “em breve receberão informações adicionais sobre nosso programa de agências preferenciais e incentivos futuros para recompensar agências que continuam a promover e reservar viagens através da tecnologia New Distribution Capability.”

Os clientes corporativos foram informados de que também “receberiam em breve informações adicionais sobre nosso programa de agência preferencial e nossa estratégia de vendas e distribuição”.

O programa de agências preferenciais foi anunciado em fevereiro, com planos iniciais para começar em 1º de maio, mas adiado para 11 de julho, e exigiria que as agências reservassem pelo menos 30% de seu volume americano através dos canais NDC até 21 de abril para se qualificarem como preferenciais. Esse número aumentaria para 50% até 31 de outubro e 70% até 30 de abril de 2025. Não estava claro como essas porcentagens seriam medidas.

Os e-mails também reiteraram comentários feitos pelo CEO americano, Robert Isom, na quarta-feira, durante uma conferência de investidores, de que a companhia aérea não planejava mais mudar a forma como os membros AAdvantage ganhavam milhas ou pontos. Isom também observou que a transportadora agiu “mais rápido do que deveríamos” em termos de sua estratégia NDC e “não executou bem”.

Esse mea culpa ocorreu um dia depois que a American anunciou que o diretor comercial Vasu Raja, um dos principais arquitetos da estratégia de distribuição da transportadora, deixaria a empresa em junho.

Cada memorando mencionava os comentários da Isom de que a transportadora estava “revisitando nossas políticas” para oferecer aos viajantes corporativos e aos clientes mútuos das agências “a melhor experiência na American e para garantir que seja fácil fazer negócios com nós”.

Além disso, Laurence disse que a American está “adaptando holisticamente nossa abordagem para priorizar que, independentemente de onde os viajantes façam reservas, eles não sejam impactados negativamente por nossas mudanças de política no futuro. As decisões que tomamos são pensando em nossos clientes mútuos e tornando nossos a experiência das agências e dos parceiros corporativos é a melhor possível”.

Artigos relacionados
CIA AÉREAS

Air India introduzirá avião A350 em duas rotas dos EUA

A Air India começará a usar novas aeronaves Airbus A350-900 em duas rotas nos EUA nos próximos meses. A companhia…
CIA AÉREAS

GOL anuncia expansão da oferta de voos para a Região Metropolitana de Porto Alegre

A GOL Linhas Aéreas anuncia o aumento da oferta de voos entre a base aérea de Canoas (QNS), na Região…
CIA AÉREAS

Resgate aéreo alcança recorde histórico em 2024 com mais de 2,5 milhões de passagens emitidas com pontos

Com o número cada vez maior de brasileiros familiarizados aos programas de fidelidade, o resgate aéreo encerrou o primeiro semestre…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :