Destaques

Festejos juninos devem atrair mais de 21,6 milhões de pessoas pelo país

Chegou uma das épocas mais aguardadas do ano: o São João. E com ela, mais de 21,6 milhões de pessoas devem curtir os tradicionais festejos pelo Brasil. Os números são de um levantamento feito pelo Ministério do Turismo, com informações das Secretarias Estaduais e Municipais de Turismo. Presente no calendário oficial de festas populares do país, a celebração dos santos juninos movimenta o turismo de norte a sul, aquecendo a economia e gerando emprego e renda para milhares de brasileiros.

E vai ter arrasta pé para todo lado, especialmente no Nordeste, principal centro das tradições que compõe os festejos juninos. Por lá, já tem sanfoneiro tocando e levantando a poeira com muito forró. Em Caruaru (PE), o “arraiá” já começou e vai durar 72 dias. São esperadas mais de 4 milhões de pessoas durante o período, segundo a prefeitura local, injetando na economia do município cerca de R$ 700 milhões. Em Petrolina (PE), a expectativa é de que o ciclo junino reúna mais de 800 mil pessoas e injete R$ 300 milhões na economia local.

Na vizinha Paraíba, a cidade de Campina Grande também registra números expressivos. A expectativa é que haja um crescimento de público para os festejos juninos de 20% em comparação ao ano passado, alcançando mais de 3 milhões de pessoas. Já na Bahia, a festa deve atrair 1,5 milhão de pessoas. Entre os destinos mais procurados estão os municípios de Amargosa, Santo Antônio de Jesus, Cachoeira, Ibicuí, Senhor do Bonfim e Irecê.

O Ceará também já está em clima de festa. Em Maracanaú, por exemplo, mais de 2 milhões de pessoas devem aproveitar os 24 dias de festança e muita diversão. Outras cidades do interior também movimentarão essa época do ano, com festejos no Vale do Cariri, em municípios como Juazeiro e Crato; e no corredor junino Circuito Norte, formado por Sobral, Meruoca, Forquilha, Barroquinha, Uruoca, Martinópole, Camocim e Granja.

E se engana quem acha que as festas de São João estão concentradas apenas no Nordeste. Minas Gerais também é palco dos tradicionais eventos juninos. Durante dois meses de festa, o governo do Estado espera uma movimentação turística de aproximadamente 3 milhões de pessoas, 20% a mais que em 2023, quando 2,6 milhões de turistas viajaram pelo estado, segundo dados do Observatório do Turismo.

Em São Paulo, mais de 300 municípios também devem atrair quase de meio milhão de paulistas em festas pelo estado. Segundo dados da Secretaria de Turismo e Viagens de SP, o número é maior que o registrado em 2023 e deve movimentar diretamente R$ 318,8 milhões apenas de viagens e pernoite, que foi o padrão considerado pela pesquisa.

E o “anarriê” não para por aí. Em outras localidades a cultura junina estará presente mostrando a força popular dessa celebração. Como no Arraiá da Capital, em Palmas (TO), que para sua 32ª edição espera atrair aproximadamente 60 mil pessoas nos cinco dias de festa. Em Rondônia, na 40ª edição do Arraial Flor do Maracujá, são esperados cerca de 150 mil visitantes. Já em Boa Vista (RR), os festejos locais estimam um público de 370 mil pessoas, movimentando cerca de R$ 20 milhões na cidade.

O setor rodoviário regular dedica atenção especial aos festejos, com uma operação diferenciada para receber os milhares de viajantes que se deslocam principalmente para as cidades do interior, tanto para aproveitar a festa quanto para trabalhar no evento.

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati), o aumento na grade de horários das empresas que atendem estes eventos deve girar em torno de 35% e o setor espera transportar cerca de 1,5 milhão de pessoas para destinos de São João.

As cidades de Caruaru e Petrolina (PE), Campina Grande (PB), Mossoró (RN), Patos (PB) e Votorantim (SP) são as mais procuradas por quem vai viajar de ônibus. Capitais como Aracaju (SE) e São Luís (MA), com sua forte tradição do Bumba Meu Boi, e Belo Horizonte (MG) também conseguem movimentar as rodoviárias no sentido contrário (interior/capital) com grandes atrações.

Trazidas ao Brasil pelos europeus no período colonial, as festas em homenagem aos santos Antônio, Pedro e João, realizadas no mês de junho, tornaram-se ícones da cultura nordestina. As festas juninas brasileiras são marcadas por danças típicas como a quadrilha, músicas de forró, fogueiras, fogos de artifício e comidas típicas como milho cozido, pamonha e canjica. Essa mistura de elementos religiosos, rurais e folclóricos faz de São João uma das celebrações mais vibrantes e culturalmente ricas do país.

Artigos relacionados
Destaques

Alagoas comemora mais de 4.500 certificados entregues no primeiro ano da Escola de Turismo

O governador Paulo Dantas comemorou, ontem, 18, durante solenidade no Palácio República dos Palmares, o primeiro ano do programa Escola…
Destaques

Brasil fecha o primeiro semestre com 3,6 milhões de turistas internacionais

O turismo brasileiro encerra o primeiro semestre de 2024 com mais uma conquista: a marca de 3.597.239 turistas internacionais visitando…
Destaques

Em um ano de atuação, Escola do Turismo gera emprego, renda e oportunidades para alagoanos

Uma política pública efetiva e que vem mudando a realidade de muitos cidadãos alagoanos em diversos municípios. O Escola do…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :