MEIO AMBIENTE

Agência de viagens Top Atlântico lança Projeto +Planeta de sustentabilidade

A rede de agências de viagens Top Atlântico criou um novo projeto chamado +Planeta, através do qual propõe viagens mais sustentáveis, obedecendo a critérios como a melhoria da qualidade de vida local ou a preservação do patrimônio cultural.

“Interiorizámos há muito que é urgente satisfazer as necessidades das gerações atuais sem comprometer o futuro do planeta, ele é a nossa casa, mas também o nosso produto: vendemos sonhos, vendemos o mundo, sem ele não temos onde viver nem para onde viajar”, sublinha a empresa do Grupo Vamos.

Neste contexto, a Top Atlântico criou o selo +Planeta para assinalar todas as ações que promover “em prol de um planeta melhor e mais sustentável”.

Os programas de viagem que fazem parte deste projeto privilegiam o recurso a fornecedores locais que contratam trabalhadores locais, “promovendo a economia dos lugares”, e incluem “visitas aos mercados locais onde os viajantes possam fazer compras que alimentem e promovam os comerciantes e comunidades locais”, diz a rede de agências.

Por outro lado, a Top Atlântico incorpora nestas viagens “componentes formativas e de sensibilização à preservação da natureza e das espécies”, e inclui “visitas a parques naturais  cujo preço da entrada contribui para projectos de conservação” e “visitas ou interação com as comunidades, participando em projectos que contribuam para o desenvolvimento local e ou ensinem os viajantes sobre a cultura e património a preservar”.

No fundo, as propostas de viagens mais sustentáveis obedecem a um conjunto de critérios sociais, culturais e ambientais inspirados nas diretrizes do Global Sustainable Tourism Council.

Para uma proposta de viagem incluir esta categoria deve ser “amiga do ambiente” ou pelo menos produzir “mecanismos de compensação do dano causado” e deve ter “um impacto positivo na comunidade de acolhimento e no ecossistema do destino”.

O programa de viagem também deve ser “impulsionador na qualidade de vida local”, deve promover “a preservação do patrimônio cultural” e ser “uma inspiração na sensibilização não só dos nossos fornecedores, mas também nos colaboradores, clientes e em todas as pessoas que connosco interagem”, diz a Top Atlântico.

A empresa definiu ainda fatores de exclusão para estas viagens, como a “exploração e assédio, desrespeito pela igualdade de oportunidades, desrespeito pelo trabalho decente, serviços que de alguma forma ameaçam as comunidades, venda, negociação ou exposição de artefatos ilegais, recolha e comércio de espécies selvagens ou atividades que desrespeitam o bem-estar animal”.

O projecto +Planeta inclui ainda um protocolo com o programa “Criar Bosques”, da Quercus, através do qual todos os programas de viagem vão contribuir para a plantação de árvores, uma forma de compensação das emissões de CO2 produzidas por cada viajante.

Para ver mais clique no site da Top Atlântico clique aqui.

Clique para ver mais: Agências&Operadores

Artigos relacionados
MEIO AMBIENTE

ABEAR reforça importância da produção de SAF para descarbonização do setor aéreo

A presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), Jurema Monteiro, reforçou, no evento Piauí Infra Day, a importância da…
MEIO AMBIENTE

Prefeito de Craíbas recebe MVV para alinhar novo estudo socioeconômico na região

No último dia 3, a Mineração Vale Verde (MVV) realizou uma visita institucional à Prefeitura de Craíbas, conversando com o…
LEVANTANDO ÂNCORASMEIO AMBIENTE

MSC publica seu relatório de sustentabilidade de 2023

A MSC Cruzeiros publicou, hoje, o seu Relatório de Sustentabilidade de 2023, com uma análise de desempenho do período de…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Enter Captcha Here :