OPINIÃO

Futuro da TAP depende do resultado das eleições legislativas em Portugal

Veja também nossa a analise da empresa no Brasil e os desafios os novo diretor Carlos Antunes

A companhia aérea portuguesa TAP passa por momentos de grandes expectativas com as eleições legislativas que acontecem no dia 30 em Portugal, onde os destinos da empresa podem mudar, se o primeiro ministro for um dos adversários de António Costa (PS). No páreo estão João Cotrim Figueiredo da Iniciativa Liberal (IL) e Rui Rio do CDS, que pregam a venda da empresa para iniciativa privada.

Os dois possíveis primeiros ministros de Portugal discordam apenas quanto ao  método de privatizar a TAP. João Figueiredo, quer afastar o mais rápido possível a empresa do Governo e evitar com isso despesas com a sua manutenção. Desta forma a companhia poderá ser vendida no “retalho”, o que seria o fim da identificação da aviação civil portuguesa.

João Figueiredo da Iniciativa Liberal

Já Rui Rio, é mais brando na proposta de privatizar a TAP. Como candidato de centro-direita, ele poderia até aceitar que o Governo continue como acionista, mas sem grandes despesas para os cofres públicos. Vale lembrar que Rui Rio é o favorito na oposição para ser primeiro-ministro. O Partido Socialista de António Costa busca alianças com os velhos aliados da “Geringonça” de esquerda que podem voltar a se unir e vencer as eleições e manter a TAP como empresa estatal e estratégica para a economia de Portugal.

Carlos Antunes, novo diretor da TAP no Brasil

TAP no Brasil

A TAP é também considerada uma empresa estratégica para a aviação internacional no Brasil, já que lidera o transporte de passageiros para a Europa com um volume considerável de 1,2 milhões transportadas por ano entre os dois países. A empresa transporta também cargas para Lisboa, já que o aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, é um dos principais Hubs para o Brasil.

A companhia vem se reestruturando internamento, mudando sua diretoria e tem hoje uma mulher na presidência, Christine Jeanne Ourmière. As mudanças também chegaram ao Brasil com o novo diretor Carlos Antunes, que substitui Mário Carvalho, um ícone da TAP.

Mário Carvalho, não sai do quadro funcional da TAP, e continua a ser assessor estratégico da empresa, com uma vasta experiência sobre aviação civil no Brasil. O executivo já havia relatado a amigos que estava na hora de diminuir o ritmo de trabalho, já que está na empresa desde 1972.

Com a larga experiência de Mário Carvalho e o sangue novo de Carlos Antunes, a TAP se fortalece principalmente quanto à dinamização de vendas e marketing, que precisavam há muito tempo ser revigorado, além de ampliar a relação com a imprensa. Antunes já passou pela TAP e atualmente estava na Copa Airlines.  Formado em Vendas e Marketing com MBA em administração de empresas pela FGV, o novo diretor tem um perfil mais arrojado para promoção de imagem da empresa e aproximação dos formadores de opinião da imprensa profissional. Um colaborador estratégico na área de comunicação.

Carlos Antunes tem também desafios como a consolidação de novas rotas como Natal, Maceió e terá para isso, o apelo hoteleiro do Grupo luso/brasileiros, Vila Galé, que hoje é um dos maiores do Brasil e Portugal com grande importância para economia de vários municípios e estados brasileiros. 

Agora é esperar pelo resultado das eleições legislativas no dia 30 de janeiro em Portugal. 

Artigos relacionados
OPINIÃO

Momentos cruciais para o turismo em Alagoas

Os rumos do turismo em Alagoas está nas mãos, a partir de hoje, da nova secretária de Desenvolvimento e Turismo,…
OPINIÃO

Rolê 22 faz reflexão sobre a Semana de Arte Moderna de 1922 sob outros pontos de vista

Contextualizar o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922. Esse é o objetivo do “Rolê 22”, que reunirá uma…
OPINIÃO

Dubai se consolida entre os destinos preferidos dos brasileiros

No início deste ano, estive em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Foi a segunda viagem que fiz a este curioso…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.




Enter Captcha Here :